fevereiro 11, 2016

Murro!

Levei um grande e forte murro no estômago, daqueles que nos deixam de joelhos no chão. Não foi hoje, mas ainda me dói! Levei-o da pessoa mais improvável, daquela que me guardava nos seus braços. Levei um murro no estômago, e fui deixada, assim... Sem me perguntarem se precisava de ajuda para me levantar. Ainda não me levantei, ainda estou de joelhos no chão, perplexa com o que aconteceu, como aconteceu! E eu não me defendi, e não defendi os meus. Talvez hoje ainda não tenhas forças para me levantar, mas amanhã... Amanhã terei certamente! E quando me levantar, terei um escudo para me proteger, porque nunca mais ninguém me voltará a dar aquele murro no estômago!

fevereiro 10, 2016

Terminou...

Nem acredito que aqui estou outra vez... É uma sensação estranha, escura, triste... Voltei ao meu porto de abrigo, a expandir-me nas minhas palavras... para delas arrancar a minha dor. Estou só. Já não existe a presença, o amparo, o ombro amigo, a certeza de um estar sempre presente. Isso deu lugar à dor, ao medo, à insegurança, ao frio... "um dia de cada vez" - Dizem eles... Mas o dia em que não vai mais doer, esse, tarda em chegar, e chegará? E a dor da ausência aperta-me os pulmões, rasga-me o coração, e dói - Dói fisicamente! E então, grito, choro, imploro para que isto acabe... Mas não acaba! E hoje é pior que ontem, porque hoje tenho menos esperança de que tudo voltará a ser como antes! Mas vou viver um dia de cada vez - É isso que esperam de mim! E eu? o que eu espero? Que tudo não passe de um pesadelo, para que eu possa acordar nos teus braços outra vez!

junho 30, 2010

És o melhor

És o meu melhor,
O meu sonho, nunca sonhado...
O meu desejo, alcançado!

És o meu abrigo,
A minha ancora,
A ponte entre o sonho a realidade...

Por vezes ainda me questiono se serás real,
És o meu bem,
O maior tesouro.

Tantas e Tantas vezes a minha bússola,
o meu confidente,
Maior conhecedor dos meus medos!

És tanto!
És o melhor!

junho 10, 2010

Medo de Errar!


Tenho medo de tropeçar,
De me esquecer do certo e do errado - de não distinguir ambos!

Tenho medo de não saber escolher o meu caminho...
E de não calcular as minhas atitudes!

Tenho medo de rachar... o que tenho de mais precioso!

Tenho medo das emoções!
Tenho medo de exagerar e não saber tirar as medidas certas!

É difícil não errar... Mas é bom temer o erro, pois sabemos o quanto sofreremos se errarmos!

junho 06, 2010

maio 04, 2010

Segredo!


Às vezes posso parecer chata,pode parecer que não te dou o valor que mereces!
Pode ser até, que seja demasiado exigente, que tenha rápidas mudanças de humor,
e que nem sempre saiba bem o que quero!

Pode ser que por vezes, ache que tenho sempre razão, e não tenha em mim qualquer defeito.

Pode até acontecer que por vezes, faça com que pareças um monstro horrendo!

Mas tu sabes que no fundo és o meu Principe, o maior tesouro que tenho na vida!
Às vezes, reclamo a tua atenção, mas é porque sem ela sinto-me tão pequenina!

Preciso tanto de ti, que o pensar em perder-te que tortura por dentro!

És o meu melhor!

dezembro 13, 2009

Olhar-te!


Em alguns momentos, pode parecer que estou distraída, mas estou a olhar para ti!


Os meus olhos procuram-te sempre...


Eu olho para ti, quando estás contente, quando estás triste!


É tão bom olhar-te quando não há nada para dizer...


É maravilhoso puder ver como os dias passam e tu continuas o mesmo!


Sentar num café e ficar apenas a olhar-te, talvez porque os meus olhos não precisam de palavras!


Olhar para cada gesto teu, mesmo sem dares conta, e saber que é sincero!


Podia passar o resto da minha vida a olhar-te!!

dezembro 09, 2009

Tempo


Estamos a precisar de tempo para nós!

Talvez seja só impressão minha, mas acho que precisamos de ter o nosso tempo


Eu preciso...

Tu não sei...


Parece que os dias passam, mas os nossos momentos não existem, tudo é igual, os dias, as horas, os segundos...


Talvez seja normal, mas aquele frio na barriga, tem vindo a desaparecer...

Precisava de me sentir a tremer de emoção!


E não me tenho sentido!


Precisamos de conversar, sentar num banquinho, ou simplesmente olharmos um para o outro...

Eu preciso tanto de ti e tu sabes disso!


dezembro 05, 2009

Ponte!


Às vezes, estamos cada um num lado da ponte...


Andamos tão distraídos que nem reparamos o quanto distantes estamos!


Tu de um lado, com a tua vida...

E eu, no outro lado com a minha!


Por vezes, consigo ver-te lá ao fundo e chamo-te, mas tu nem sempre me ouves!

Em alguns momentos pergunto-me se farás o mesmo!


Não é que a ponte seja grande, mas por vezes andamos tão ocupados que parece que cada tarefa aumenta dez centimetros no comprimento da ponte!


Já pensei em alguns métodos para resolver este problema, mas ainda nenhum resultou!


Mas talvez pudessemos tentar uma coisa que ainda não me tinha ocorrido...

E se nos encontrassemos a meio da ponte?