Mensagens

Medo!

Eu tenho medo! Medo do teu passado, medo que esse passado ainda esteja presente, e medo de não ser capaz de te fazer olhar para o futuro sem hesitação... Tenho tanto medo que o meu medo te afaste e juro, que tudo tenho feito para que não notes que por vezes estes pensamentos me torturam e me fazem questionar tantas coisas...

Prometo!

Prometo que nunca mais estarás só, prometo que tudo farei para que o teu peito não sinta mais dor nem vazio. Irei buscar o sol, quando os teus dias forem escuros. E quando tudo à tua volta forem mentiras, eu serei a verdade, prometo. Quando te perderes, serei a tua bússola e quando já não tiveres fé, estarei ao teu lado, lutando para te devolver o sorriso. Prometo dar-te o meu coração e segurar o teu! Eu dou-te a minha palavra e a minha alma! E com esta promessa podemos começar o nosso futuro. Para sempre, Meu Amor!

Tu, Meu Amor!

Tu, meu Amor, abraço forte e aconchegante! Tu, meu Amor, olhos brilhante e sorriso sincero! Meu Amor, és tu que me alentas e me devolveste o sorriso e a fé! Meu abrigo e minha força, Minha razão de querer ser mais e melhor, Luz que chegou e aqueceu a minha vida, Farol que quero sempre seguir e âncora onde me quero sempre manter! Para sempre, Meu Amor!

E chegaste tu!

Antes de ti, estava fechada em mim mesma, vivendo de ilusões momentâneas e fugazes e fazendo disso a minha felicidade, aceitando aquilo que me davam, quando muitas vezes não me davam nada. Criei sonhos e expectativas onde só existia vazio... e depois chegaste tu, e quebraste todos os muros que construí, fizeste-me acreditar naquilo que há muito havia colocado em causa, e deste-me a mão, convidando-me a caminhar ao teu lado. E eu, perplexa com tal milagre, deite-te a mão sem hesitar, e farei contigo o caminho que a vida nos reservar, mas sempre com a fé inabalável de que chegaste a mim, pela mão de um anjo! Para sempre, meu amor!

Calma

Pedes-me calma, E eu digo-te que tenho, mas se soubesses a minha inquietação de te querer, como se o mundo acabasse hoje e eu não quisesse deixar nada por viver, nada por fazer e nada por dizer… E tu voltas a pedir-me calma… e da minha boca saem palavras directamente do coração, onde a razão não tem espaço, mas que naquele lugar e naquele momento, aquelas palavras têm que ser ditas, como se rebentasse se as deixasse caladas dentro de mim… E eu peço-me calma, porque a vida há-de correr, as coisas hão-de acontecer; Mas e se não acontecerem? E se não correrem? O que tenho por dizer, deixa de ser dito? O que tenho para te dar, deixa de ser dado? Eu não consigo! Eu preciso dizer tudo, mesmo correndo o risco de te afastar, eu preciso que saibas tudo – só assim serei eu! E depois, eu não sei ser de outra maneira. Tudo na minha vida é vivido assim, intensamente!

Segura-me

Segura-me no teu abraço, Agarra-me com força, Reserva-me o teu peito, para que eu possa pousar a minha cabeça, Dá-me a tua mão, quando me sentir cair, Mostra-me um sorriso quando precisar de força, Seca as minhas lágrimas e acalma os meus pesadelos, Dá-me a tua presença ainda que não estejas comigo. E eu, Segurar-te-ei no meu abraço, Quebrarei os muros que construíste em teu redor, Dar-te-ei a minha mão sempre que dela precisares, e Reservar-te-ei o meu colo para que possas nele encontrar paz.

A Carta

Talvez já te devesse ter dito isto há mais tempo, talvez isto não tenha significado nenhum, talvez eu seja uma tola e não tenha consciência disso.., Mas preciso de me libertar e essa libertação passa por te dirigir alguma palavras que estão entalas na minha garganta e me prendem a respiração. Foste a maior desilusão da minha vida! Talvez porque depositei em ti desmesuradas expectativas, e aí talvez o erro tenha sido meu! Mas esperava de ti mais lealdade, mais amizade, mais amor! E de repente eu compreendi que não existia nada disso entre nós, que partilhávamos a mesma casa, os mesmos filhos a mesma vida, mas era só isso, não havia diálogo, não havia compreensão, não havia entendimento e o pior de tudo, não havia amor! Quando me confrontei com esse facto, com a ideia de que tinha vivido um período da minha vida numa mentira, senti-me destruída, sem chão, sem amparo. E odiei-te, odiei-te profundamente! Porque me senti traída, enganada, abandonada... E chorei tanto, todos os dias! E …