Preocupamo-nos muito com coisas que nem chegam a acontecer, fixamos âncoras em lugares e pessoas que nunca chegámos a conhecer. Reclamamos muito por tudo aquilo que achamos que precisamos ter, e não no damos conta que a sorte chega - quase sempre - a seguir ao verbo perder (autor desconhecido)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Canção Simples - Tiago Bettencourt

Quem és tu?